Igreja de Cristo – O que é isso?

Quando você ouve a palavra igreja o quem vem primeiro em sua mente. Será que isso que você pensou é realmente a igreja de Cristo?

Há muita confusão em torno do que é a igreja de Jesus Cristo. Com o passar do tempo o significado real dessa palavra foi se perdendo e estamos hoje bem longe do que realmente é igreja de Cristo no sentido bíblico. Da igreja de Cristo do primeiro século pouco restou e cada dia que passa mais distantes estamos do que é ser a igreja de Cristo.

É comum na linguagem palavras receberem significados diferente devido o tempo e influência cultural, porém, biblicamente a palavra igreja tem agregada a si o sentido real do que Jesus queria que seu povo fosse.

Destaco aqui 3 erros que, geralmente ocorre quando pensamos em igreja.

1 – Igreja não é prédio (a construção)

É comum dizermos “Hoje vou à igreja” referindo-se ao local de reuniões. Já ouvi muito expressões como “Temos que limpar a igreja” referindo-se a limpeza do prédio.

Isto ocorre com muita frequência, pois, estamos familiarizados com a expressão que recebe, por associação, um significado diferente do que realmente é.

2 – É comum ser designado igreja evangélica qualquer local onde estiverem pessoas reunidas, cantando músicas sobre Deus, orando e lendo a bíblia.

Embora o significado da palavra igreja (no grego) sirva para designar tal ajuntamento, como veremos mais adiante, não são esses fatores que caracterizam a igreja instituída por Cristo. Jesus tinha em mente algo muito maior e os cristãos do primeiro século entenderam isso.

3 – Igreja não é você

Já ouvi muita vezes sermões, vídeos e frases enfatizando que a igreja é você. Ou seja, o cristão é a igreja. Esse é um conceito errado e que, embora pareça bonito, não tem respaldo bíblico.

Então, o que é a igreja de Cristo? O que esta palavra “igreja” significa? Quais as implicações desses conceitos na vida dos cristãos?

Quero iniciar mostrando para você o significado da palavra igreja usada na bíblia. Claro que apenas alguns, pois, são muitos. Lembre-se vou me ater inicialmente ao significado da palavra para depois analisar qual a aplicação desse significado em relação ao cristão.

A palavra traduzida na biblia por “igreja” vem do grego – ekklesia que significa: (segundo o dicionário de grego Strong) [1]

1 reunião de cidadãos chamados para fora de seus lares para algum lugar público, assembleia

1a) assembleia do povo reunida em lugar público com o fim de deliberar

1b) assembleia dos israelitas

1c) qualquer ajuntamento ou multidão de homens reunidos por acaso, tumultuosamente

Aqui temos a definição do que significa o termo que foi traduzido por igreja. Em resumo, ekklesia é um grupo de pessoas reunidas com um propósito em comum.

Na bíblia a palavra ekklesia nem sempre é traduzida como igreja. Como veremos em seguida:

Em Atos 19.23-41 Lucas descreve um tumulto em Éfeso por causa da pregação de Paulo e a multidão enfurecida se reúne; e para falar desse ajuntamento a palavra utilizada é ekklesia que foi traduzida por assembleia, veja o verso 32 “Uns clamavam de uma maneira outros de outra, porque o ajuntamento era confuso. A maioria não sabia por que se tinha reunido” A palavra “ajuntamento” aqui nesse texto é ekklesia, em algumas versões é utilizado a palavra assembleia.

Em Atos 7.38 no depoimento de Estevão a palavra ekklesia – traduzida como “congregação” refere-se à nação de Israel. Note: “Ele estava na congregação, no deserto, com o anjo que lhe falava no monte sinai…”

Portanto “ekklesia” é o mesmo que assembleia, congregação, igreja ou grupo de pessoas.

Podemos dizer que qualquer ajuntamento de pessoas para um propósito é uma igreja? Se olharmos apenas para o significado da palavra grega sim, qualquer ajuntamento de pessoas com um propósito em comum é uma assembleia, congregação ou igreja. Esse é o significado do vocábulo.

Neste ponto é importante fazermos uma distinção; a igreja de Cristo não é qualquer ajuntamento de pessoas. No contexto bíblico o termo igreja agrega valores que vão além do significado do vocábulo ekklesia.

A igreja de Cristo é um ajuntamento de pessoas, mas não qualquer ajuntamento. Há um propósito, há valores a serem seguidos e ensinados, e é exatamente isso que diferencia a igreja de Cristo de qualquer outro ajuntamento de pessoas.

É o próprio Jesus que anuncia o surgimento desse destacado grupo de pessoas. Veja:

Mateus 16.18 “…edificarei a minha igreja…”

Uma observação importante é que Jesus diz que Ele edificaria a sua igreja, ele ajuntaria para si um povo exclusivo. Ele é enfático em dizer “edificarei a minha igreja”. Parafraseando, significa “eu formarei um grupo de pessoas que me seguirão e eles serão meus.”

(Um alerta aos líderes, pastores, presbíteros, que esteja na liderança da igreja de Cristo. A igreja é de Cristo, não sua; essas pessoas que estão sob seu comando pertence a Cristo não a você. Não estão ai para atender os seus caprichos ou lhe dar status. Pelo contrário, você é o responsável por elas. “Cuidem de vocês mesmos e de todo o rebanho sobre o qual o Espírito Santo os colocou como bispos, para pastorearem a igreja de Deus” At 20.28; Creio o que a palavra pastorear indica a função e como deve ser o cuidado com a igreja de Cristo. Veja esse outro verso: “pastoreiem o rebanho de Deus que está aos seus cuidados. Olhem por ele, não por obrigação, mas de livre vontade como Deus quer.” 1 Pd 5.2)

Esse grupo de pessoas, seguidores de Cristo, formam a igreja de Cristo. Sendo assim, a igreja de Cristo é um grupo de cristãos reunidos com um propósito em comum, Jesus Cristo.

1 Por que igreja não é o prédio?

O significado da palavra descarta essa possibilidade, igreja é grupo de pessoas. [2] No contexto bíblico, o termo igreja designa “reunião de pessoas”, sem estar necessariamente associado a uma edificação ou a uma doutrina específica. No texto bíblico do Novo Testamento, a palavra “Igreja” aparece por diversas vezes, sendo utilizada como referência a um agrupamento de cristãos e não a edificações ou templos…

2 Qualquer ajuntamento de pessoas que cante sobre Deus, ore, leia a bíblia é a igreja de Cristo?

Não! A igreja de Cristo, canta sobre Deus, ora e lê a bíblia (pelo menos deveriam) mas ,isso não caracteriza a igreja de Cristo. Para ser considerada igreja de Cristo deve seguir os valores e propósitos ensinados por Cristo e confirmado pelos seus apóstolos.

3 Por que você não é a igreja

Simples, você sozinho é um cristão, um seguidor de Cristo, vários cristãos reunidos com um propósito é igreja.

Concluindo, igreja de Cristo é um grupo de cristãos reunidos com o propósito de servir a Cristo, aprender sobre Cristo, ensinar sobre Cristo, louvar a Cristo, viver a vida de Cristo em comunidade.

Lembre-se nem todo ajuntamento que diz ser igreja de Cristo é de fato a igreja de Cristo.

Otávio Trinck

Referências Bibliográficas

1 – Dicionário Strong – Bíblia Online Módulo Avançado versão 3, Oct 7, 2002

2 – Igreja – https://pt.wikipedia.org/wiki/Igreja acessado em 08 de Nov. de 2015

 

O Mediterrâneo e o Dilúvio

O que a formação do mar Mediterrâneo tem a ver com o Dilúvio? E por que os cientistas vêem uma relação entre os dois, mas relutam em admiti-la?

Lemos numa revista científica alemã:

Para muitos turistas, o mar Mediterrâneo é o paraíso por excelência – um paraíso que nasceu de um inferno! Há mais de cinco milhões de anos, uma terrível inundação passou durante meses pelo estreito de Gibraltar vinda do oceano Atlântico e criou o que hoje conhecemos por mar Mediterrâneo. O impacto dessa inundação deve ter sido imenso: por segundo, até cem milhões de metros cúbicos de água penetraram na bacia do Mediterrâneo. Em alguns momentos, o nível de água subiu dez metros por dia. A erosão provocada pelas massas de água cavou um canal no estreito de Gibraltar – estima-se que esse canal tenha se aprofundado cerca de 40 centímetros por dia. No final ele atingiu as medidas impressionantes de 250 metros de profundidade por 200 quilômetros de comprimento. Os pesquisadores especulam sobre o que teria causado essa inundação. É possível que um abaixamento das placas tectônicas em Gibraltar tenha sido o responsável. (…) Essa suposição é reforçada por dados sismológicos: 300.000 anos antes do “Dilúvio”, o mar Mediterrâneo tinha sido separado dos outros oceanos e tinha secado quase totalmente devido à evaporação da água.[1]

Por que os autores colocaram a palavra Dilúvio entre aspas? Será que eles estão querendo expressar que “sim, houve um dilúvio, mas não no sentido bíblico”? É notável que em todos os continentes é possível encontrar sinais e confirmações para o Dilúvio, tanto na natureza quanto nos relatos das diferentes culturas e povos, mas que as pessoas fazem de tudo para estabelecer teorias que permitam não confirmá-lo.

Por que não conseguem acreditar que o onipotente Criador dos céus e da terra derramou um dilúvio mundial, e que o mar Mediterrâneo sobrou, como uma poça gigante, quando as águas recuaram?

Sucedeu que, no primeiro dia do primeiro mês, do ano seiscentos e um, as águas se secaram de sobre a terra. Então, Noé removeu a cobertura da arca e olhou, e eis que o solo estava enxuto. E, aos vinte e sete dias do segundo mês, a terra estava seca” (Gn 8.13-14).

Escrevem então sobre um “inferno”, uma terrível “inundação” que passou durante meses pelo estreito de Gibraltar. Tudo isso aconteceu com uma força inimaginável e as massas de água causaram muita erosão; fala-se até mesmo de um abaixamento das placas tectônicas. Tudo parece possível, desde que não seja o Dilúvio bíblico. Só que exatamente este é o cenário do Dilúvio. Toda a forma geológica da terra foi alterada de tal modo pelo impacto das águas que a Bíblia chama o mundo de antes do Dilúvio de “mundo antigo” (2 Pe 2.5), pois o Dilúvio fez surgir algo totalmente novo (2 Pe 3.6-7). “Envias o teu Espírito, eles são criados, e, assim, renovas a face da terra” (Sl 104.30).

Os cientistas consideram todo tipo de teoria para explicar essa inundação: “Os pesquisadores especulam sobre o que teria causado esta inundação”. A resposta está na Palavra de Deus: foi o pecado. Era o juízo sobre uma humanidade dominada pelos demônios e moralmente degenerada, que não dava mais espaço à atuação do Espírito de Deus e à Sua Palavra, rejeitando toda e qualquer advertência espiritual. A maldade reinava até nas camadas superiores do povo, em governantes, celebridades, pessoas de influência (heróis), e todos os atos e pensamentos eram dominados pelo mal (Gn 6.1-7).

Até o século 18 não havia dúvidas sobre a Criação por parte de Deus nem sobre um Dilúvio histórico, nem mesmo entre os cientistas. Somente o Iluminismo e a teoria da evolução que ele gerou colocaram em dúvida a revelação bíblica. Hoje essa forma de pensar atingiu e dominou o mundo inteiro. Mas o mais irônico em tudo isso é que as teses nas quais quase todos acreditam atualmente só servem para comprovar a verdade bíblica que se deseja negar. Pedro, por exemplo, escreveu sobre o fim dos tempos: “Tendo em conta, antes de tudo, que, nos últimos dias, virão escarnecedores com os seus escárnios, andando segundo as próprias paixões e dizendo: Onde está a promessa da sua vinda? Porque, desde que os pais dormiram, todas as coisas permanecem como desde o princípio da criação. Porque, deliberadamente, esquecem que, de longo tempo, houve céus bem como terra, a qual surgiu da água e através da água pela palavra de Deus, pela qual veio a perecer o mundo daquele tempo, afogado em água. Ora, os céus que agora existem e a terra, pela mesma palavra, têm sido entesourados para fogo, estando reservados para o Dia do Juízo e destruição dos homens ímpios” (2 Pe 3.3-7).

De acordo com esse texto, o fim dos tempos será caracterizado pelo fato de se questionar a historicidade do Dilúvio e pela idéia de que de alguma forma o mundo continuará sempre o mesmo. Três coisas devem chamar nossa atenção:

  1. tudo indica que estamos vivendo nesses últimos dias;
  2. a Bíblia tem razão em tudo; e
  3. aqueles que questionam a verdade são chamados de zombadores. (Norbert Lieth — Chamada.com.br)

Norbert Lieth

Nota:

  1. P.M. Fragen & Antworten 5/2010, pg.51.

A Curiosidade Sobre o Anticristo

“Muitas pessoas creem que a grande final do jogo milenar já começou. À medida que a civilização se apressa em direção ao seu destino final, o aparecimento de um poderoso governante mundial é inevitável. A questão extrema que nossa geração enfrenta é saber se ele já está vivendo e passando bem, e se movendo em direção ao poder”. Ed Hindson, (“O Anticristo Está Vivo e Passa Bem?”)

anticristoPor que atualmente existe tanto interesse e tanta especulação sobre o Anticristo?

Há algum tempo ouvi uma história sobre dois Testemunhas de Jeová, que estavam indo de porta em porta e esperando pela oportunidade de falar com as pessoas sobre a visão deles. Chegaram à porta de um homem que os convidou para entrar e pediu que se sentassem na sala de visitas enquanto ele cuidava de alguma coisa lá no quarto dos fundos. Depois de alguns minutos, o homem voltou para a sala de visitas e disse: “Bem, e sobre o que era que vocês queriam falar comigo?” Surpresos, os dois Testemunhas de Jeová se entreolharam. Então, um deles disse:

“Não sabemos. Nunca chegamos tão longe antes”.

Esta é uma ilustração bem precisa sobre onde as pessoas se encontram hoje, com relação ao futuro: Nunca chegamos tão longe antes. Em Romanos 13.11-12, lemos:

E digo isto a vós outros que conheceis o tempo: já é hora de vos despertardes do sono; porque a nossa salvação está, agora, mais perto do que quando no princípio cremos. Vai alta a noite, e vem chegando o dia. Deixemos, pois, as obras das trevas e revistamo-nos das armas da luz”.

Está ficando cada vez mais claro para muitos que este mundo está chegando a um final e as pessoas estão fazendo perguntas sobre o futuro como nunca haviam feito antes. Muitos estão temerosos, ansiosos e inseguros. Existe uma fascinação crescente com aquilo que poderá acontecer a seguir. As pessoas estão cada vez mais concentradas naquilo que o amanhã pode trazer. Colapsos econômicos, a ameaça de pragas pandêmicas, desastres cataclísmicos naturais e a temida ameaça do terror nuclear, todos convergem para fazer do mundo um lugar mais perigoso que já houve em qualquer outra época na história da humanidade.

Ao mesmo tempo, há uma conversação crescente entre os líderes mundiais sobre esforços em direção a uma unidade global. Por exemplo, tem havido importantes conferências sobre economia e sobre clima, nas quais os representantes dos governos têm tentado conseguir que vários países trabalhem em conjunto visando determinados alvos. E há outras maneiras através das quais vários governos solicitam cooperação global com relação a problemas e questões específicas. Cada vez mais estamos vendo esforços em direção à centralização do poder, o que está levando muitos a imaginar se o tempo do Anticristo chegou – se o governador final do mundo e seu governo mundial único estão para fazer a sua estréia no palco do mundo. O mundo está ansioso por alguém que possa trazer esperança e fornecer as respostas para o aumento das crises mundiais. Será que a chegada do Anticristo pode ser logo? Será que ele já está vivendo agora e presente em algum lugar da terra, esperando que seu tempo chegue?

Em nossos dias, as pessoas estão falando cada vez mais sobre o Anticristo. De certa forma, isso não surpreende porque as pessoas sempre tiveram uma fascinação pela personificação humana do mal, e já tiveram o auge tentando imaginar quem é o Anticristo. A identidade do Anticristo já intrigou pessoas durante 2.000 anos, e muitos acharam irresistível a tentação de identificá-lo. Há séculos elas têm sugerido inúmeras possibilidades e os vários papas têm sido candidatos consistentes. Diz-se que Martinho Lutero, o grande reformador, falou o seguinte: “Sinto-me muito mais livre agora que sei que o papa é o Anticristo”.

Dentre os candidatos mais proeminentes que foram mencionados estão o Imperador Frederico II, o Papa Inocêncio IV, Maomé, os Turcos, Napoleão, Hitler, Mussolini e Stalin. Em épocas mais recentes, não tem havido escassez de nomes:

  • Presidente John F. Kennedy – era católico e foi assassinado com um ferimento na cabeça. Algumas pessoas associaram este fato ao ferimento mortal que o Anticristo um dia vai receber (ver Apocalipse 13.3) e esperavam que Kennedy voltasse a viver.
  • Henry Kissinger – era judeu e seu nome, de acordo com alguns cálculos, é igual a 666. Uma razão chave pela qual algumas pessoas sugeriram que ele poderia ser o Anticristo foi sua reconhecida diplomacia e atitude pacificadora.
  • Mikhail Gorbachev – Quem poderia ignorar aquela grande marca vermelha que ele tinha em sua testa? Algumas pessoas pressupuseram que essa marca só poderia estar relacionada à marca da besta.
  • Presidente Ronald Reagan – Seu nome, Ronald Wilson Reagan, era composto por três palavras com seis letras cada uma, e algumas pessoas as equacionavam com o número 666. Elas também achavam que sua recuperação de um atentado a tiro poderia ter algum significado.
  • Bill Clinton – Muitas pessoas apontaram Bill Clinton como possivelmente sendo o Anticristo, e algumas viam Hillary como o falso profeta (um companheiro do Anticristo que, de acordo com o livro de Apocalipse, promoverá o poder do Anticristo e persuadirá as pessoas a adorá-lo).

Algumas pessoas falam jocosamente que esse esforço para identificar o Anticristo é como uma tentativa às escuras. Vale a pena observar que aqueles que se engajam nesse exercício jogam a culpa em quem quer que seja que eles não gostem. Quase todos os presidentes americanos desde Ronald Reagan têm sido identificados por alguém como sendo o Anticristo. Portanto, não é tão surpreendente que, depois que Barack Obama se tornou presidente, alguns começaram a sugerir que ele seria o Anticristo. Há programas de notícias em televisão a cabo que mostraram entrevistas e histórias sobre essa afirmação, e pesquisas de opinião mostram que esta não é simplesmente uma crença de alguma ala lunática. De acordo com uma pesquisa de opinião feita por Louis Harris em 23 de março de 2010,

  • 67 por cento dos republicanos (e 40 por cento dos americanos em geral) crêem que Obama é um socialista;
  • 45 por cento dos republicanos (e 25 por cento dos americanos em geral) crêem que Obama “não nasceu nos Estados Unidos e, portanto, não seria elegível para presidente);
  • 38 por cento dos republicanos (e 20 por cento dos americanos em geral) dizem que Obama “está fazendo muitas das coisas que Hitler fez”.

Mas a verificação mais intrigante de todas é que 24 por cento dos republicanos (e 14 por cento dos americanos como todo) dizem que Obama “pode ser o Anticristo”. Aqueles que mantêm essa visão foram apelidados de “Antichristers”, assim como aqueles que questionam a cidadania do Presidente Obama são chamados de “birthers”.[1]

O fantasma do Obama como o Anticristo circula amplamente pela Internet. Há um vídeo que tem uma série de seguidores que afirmam que Jesus nos deu o nome do Anticristo e ligam Barack Obama ao nome, embora um discordante diga que o narrador não está afirmando que o Presidente Obama é o Anticristo. O vídeo se baseia em Lucas 10.18, onde Jesus diz: “Eu vi Satanás caindo do céu como relâmpago”. O argumento então prossegue da seguinte forma:

  1. Jesus falou em aramaico, não em grego.
  2. Jesus disse: “Eu vi a Satanás caindo das alturas, ou dos céus”.
  3. A passagem é, então, retraduzida como: “Eu vi a Satanás caindo como relâmpago dos céus”.
  4. Nota-se que, no hebraico bíblico, a palavra traduzida por “relâmpago” é “baraq”.
  5. Isto está relacionado com Isaías 14, que fala de Satanás ou de Lúcifer.
  6. A palavra hebraica traduzida por “alturas” em Isaías 14.14 é “bamaw”.[2]

Bem, já se pode ver onde isso vai chegar. Há, por acaso, alguma validade nessa linha de pensamento? A melhor análise desse raciocínio foi feita pelo estudioso do Novo Testamento, Daniel B. Wallace. Depois de comentar cada um dos pontos acima e vários outros, Wallace chegou à seguinte conclusão:

Quando tudo é dito e feito, a evidência a que se chega é que é simplesmente uma tapeação. Jesus não falou em hebraico, e o hebraico que é dado aqui não significa “relâmpago das alturas”. Baraq ubamah significa “relâmpago e altura”. Mas isso raramente poderá ser o aramaico subjacente (que não é o hebraico) para o texto grego de Lucas 10,18. Assim, é necessário um salto linguístico do grego para o aramaico e para o hebraico, com mudanças gramaticais e de vocabulário ao longo do caminho, para fazer com que Lucas 10.18 signifique o que o narrador quer que signifique.[3]

Muitas coisas foram ditas em alguns círculos sobre o número vencedor da loteria no dia 5 de novembro de 2008, o dia após a vitória de Barack na eleição presidencial, em seu estado de origem (Illinois): o número foi 6-6-6. Outros disseram que o código de endereço postal dele é 60606. Um blog observou o seguinte: “Por que há tantas coincidências dentre o Barack e o número 666? Depois, passou a listar as “supostas” coincidências:

  • Data do nascimento = 4 de agosto (216º dia do ano) (216 = 6 x 6 x 6)
  • Local do nascimento = Longitude 21,6 (novamente o número 216) 216 (21,6) = 6 x 6 x 6
  • Nome = 18 letras (18 = 6 + 6 + 6)
  • O número da loteria vencedora em Chicago, do Estado que era governado por Obama, no dia seguinte à sua eleição para presidente, foi 6 – 6 – 6.
  • O próximo vencedor foi 7 – 7 – 7 – 9
  • De acordo com a numerologia de Deus:666 = Anticristo
    777 = Complitude perfeita
    9 = Julgamento
    6667779 = Anticristo, conclusão perfeita de julgamento (tempo)? [4]

Não tenho a menor idéia se estas alegações são verdadeiras ou não, mas isso mostra até onde algumas pessoas são obcecadas em tentar descobrir a identidade do Anticristo. Não muito tempo depois que o furor sobre Obama estava em voga, um grupo extremista chamado a milícia Hutaree recebeu bastante atenção nos noticiários porque havia engendrado assassinar um policial e depois matar os que estivessem em seu funeral com a ajuda de bombas caseiras. Tudo isto era parte de um grande plano para se prepararem para a batalha com o Anticristo. Uma parte-chave da teologia tramada por esse grupo era a crença de que o ex-secretário geral da OTAN, Javier Solana, é o Anticristo.[5]

Outro motivo para o grande interesse que as pessoas têm no Anticristo é derivado da presença de uma figura do Anticristo em muitas religiões do mundo. Você pode ficar surpreso, como eu fiquei, ao saber que as três grandes religiões do mundo, o Cristianismo, o Judaísmo e o Islamismo, ensinam sobre um governador mundial poderoso e sinistro, que aparecerá durante os tempos do fim. Todos estão procurando um homem de perversidade sem paralelos, um inimigo extremo, que virá durante os últimos dias e assumirá o controle do mundo.

No Islamismo, essa pessoa é chamada Al-Dajjal, que em árabe significa “o enganador”. Seu título completo é Al-Maseeh (o Messias) Ad-Dajjal (o Mentiroso; o Enganador). Aqui estão algumas de suas principais características, de acordo com o ensinamento islâmico:

  • Ele será um homem jovem.
  • Aparecerá durante uma época de Grande Tribulação.
  • Será cego de um olho (há fontes conflitantes sobre qual dos dois olhos) e esse olho será coberto por uma película grossa enquanto que o outro olho será protuberante como uma uva flutuante.
  • Ele terá cabelos grossos.
  • Terá a palavra “Infiel” (Kaafir) escrita entre seus olhos, ou possivelmente em sua testa, mas apenas os verdadeiros muçulmanos perceberão seu significado.

O Dajjal possuirá incríveis poderes sobrenaturais que usará para enganar os muçulmanos. De acordo com uma fonte, “O Dajjal terá poderes do Diabo. Ele aterrorizará os muçulmanos, fazendo-os seguirem-no, convertendo-os à incredulidade. Ele esconderá a verdade e divulgará a falsidade. O profeta disse que o Dajjal terá o poder de mostrar a imagem dos ancestrais mortos de uma pessoa em sua mão, como se numa tela de televisão. O parente (o morto) dirá: ‘Ó, meu filho! Este homem está correto. Estou no Paraíso porque fui bom e cri nele.’ Na realidade, aquele parente está no inferno. Se o parente disser: ‘Creia neste homem; eu estou no inferno porque não cri nele,’ alguém poderá dizer para o Dajjal: ‘Não, ele está no Paraíso. Isto é falso.’” [6]

  • Ele será a encarnação do mal.
  • Afirmará que é Deus.
  • Será um judeu que reunirá 70.000 judeus como seus seguidores, juntamente com outros incrédulos e hipócritas.
  • Ele seguirá em um redemoinho de engano e destruição.
  • Estabelecerá a si mesmo como o governador em Jerusalém.
  • Ele finalmente será morto por Jesus, no portão Lídia, quando Ele voltar do céu.
  • O surgimento do Dajjal no cenário mundial é um dos dez sinais-chave do fim dos tempos para o Islamismo.

O Judaísmo também possui uma figura do Anticristo. O Judaísmo ensina que um governador romano por nome Armilus será um operador de milagres que dirigirá seus exércitos contra Jerusalém. No final, Armilus será morto pelo Messias ben Davi, ou seja, o Messias, Filho de Davi, o verdadeiro Messias.

No Cristianismo, como já vimos, esse governador final do mundo é conhecido como o Anticristo, a Besta e o homem do pecado, bem como por vários outros nomes e títulos.

Quando consideramos que três das maiores religiões do mundo estão aguardando o surgimento de um grande líder político-religioso no final dos tempos, não surpreende que hoje a especulação sobre a identidade do Anticristo esteja em alta. Na verdade, há uma especulação crescendo rapidamente de que ele já esteja aqui. E as pessoas querem saber quem ele é. Eu creio que, à medida que os problemas mundiais continuam a piorar, a curiosidade se tornará cada vez mais intensa. Com tudo o que está transpirando em nosso mundo hoje, as pessoas estão fazendo perguntas sobre o final dos tempos e sobre o Anticristo como nunca fizeram antes. As perguntas são como:

  • Os acontecimentos de nosso mundo atualmente estão estabelecendo o palco para o aparecimento do Anticristo?
  • Quem é esse super-homem satânico que ainda está para estourar no cenário mundial?
  • De onde ele virá?
  • Como ele será e o que ele fará?

Será que ele surgirá durante nosso tempo de vida?

Por que eu devo me preocupar com o Anticristo?

Quando o Anticristo lhes vem à mente, algumas pessoas hoje podem se sentir como Denis, o cartusiano, que disse: “Será que ainda não nos desgastamos o suficiente com esse amaldiçoado Anticristo?” [7] Mesmo assim, eu creio que há pelo menos quatro motivos pelos quais deveríamos gastar algum tempo para nos informar sobre a vinda do Anticristo.

1º) A Bíblia tem muito a nos dizer sobre esse governante mundial final. Depois de Jesus Cristo, a principal pessoa em toda a profecia bíblica e em toda a história humana é o governante mundial que está por vir, ou seja, o Anticristo. Meu amigo, o Dr. Harold Willmington, descreveu adequadamente a singularidade do futuro ditador mundial. Como se pode perceber a partir dos números na citação abaixo, ele fez essa declaração alguns anos atrás (1981), mas a idéia ainda permanece verdadeira: “Desde os dias de Adão, estima-se que aproximadamente 40 bilhões de seres humanos nasceram em nossa terra. Quatro bilhões e meio desse número estão vivos hoje. Entretanto, por qualquer que seja o padrão de mensuração que se possa empregar, o maior ser humano (exceto o próprio Filho de Deus) em questões de habilidade e realização ainda está por fazer sua aparição sobre nosso planeta”.[8]

Provavelmente poucas pessoas percebem que há mais de 100 passagens nas Escrituras que descrevem a origem, nacionalidade, caráter, carreira, reino e destino final do Anticristo. Ele é discutido extensivamente no livro de Daniel, do Antigo Testamento, bem como nos livros de 2 Tessalonicenses e Apocalipse, do Novo Testamento. Deus não quer que fiquemos preocupados com esse indivíduo de um modo não salutar e desequilibrado, mas Deus quer, claramente, que saibamos a respeito desse príncipe das trevas que está por vir, pois Ele escolheu nos falar bastante sobre tal pessoa. O volume total de informações sobre o Anticristo nas Escrituras é razão suficiente para entendermos quem ele é e o que ele fará.

2º) Saber o que vai acontecer ao Anticristo nos dá a segurança de que Deus finalmente triunfará sobre todo o mal. Se é certo que Deus triunfará sobre a maior concentração do mal que há na pessoa conhecida como Anticristo, então podemos ter a certeza de que Ele triunfará sobre todo o mal que está proliferando descomedidadamente em nosso mundo. Esse conhecimento pode servir como uma tremenda fonte de conforto e segurança em nossos tempos cada vez mais problemáticos. Como disse o professor de Bíblia, John MacArthur, referindo-se a Apocalipse 13 e ao Anticristo: “A mensagem desta passagem é clara. Que a besta monstruosa vinda do abismo faça o seu pior. Que Satanás e suas hostes demoníacas tenham a sua hora. Deus controla o futuro e os crentes pertencem a Ele”.[9]

3º) Saber sobre o Anticristo nos ajuda a ver como os acontecimentos atuais ao nosso redor estão se unindo para estabelecer o palco para essa vinda. À medida que testemunharmos os acontecimentos mundiais tomando forma da maneira predita na Bíblia, conheceremos grande paz porque experimentaremos a segurança que vem de perceber que a Bíblia previu o futuro com perfeita exatidão.

4º) Conhecer a verdade sobre o Anticristo pode nos ajudar a reconhecer o erro e a apostasia de nossos dias. Embora ainda não estejamos vivendo nos tempos do fim, à medida que nos aproximamos deles, podemos esperar uma enxurrada crescente de apostasia e de falsos ensinamentos. Os professores de profecia Thomas Ice e Timothy Demy nos fornecem esta palavra bastante prática:

O ensino bíblico com referência ao Anticristo não foi dado para nos deixar ansiosos, mas para nos conscientizar. A conscientização da vitória de Deus sobre o Anticristo e sobre todo o mal dá certeza aos crentes de que tanto o presente quanto o futuro estão firmemente dentro do alcance da mão de Deus. Deveríamos estar preocupados com o Anticristo, não apenas porque a Bíblia fala dele nem por causa de curiosidade, mas porque ele nos fornece insight sobre o mistério da iniquidade que já opera em nosso meio (2Ts 2.7). O padrão do mal que será executado claramente no futuro e personificado no Anticristo deveria ser a nossa preocupação, para que possamos sabiamente resistir ao mal no tempo presente. Embora uma passagem bíblica, ou um assunto, possa não ser aplicada diretamente a um crente em particular hoje, um conhecimento detalhado das Escrituras dá ao santo de Deus maior insight para viver fielmente para o Salvador.[10]

A revelação de Deus sobre a incorporação final do mal é outra parte da mensagem d’Ele ao homem, e não deveríamos dispensá-la nem negligenciá-la. Deus quer que saibamos sobre o Anticristo que virá, e todo crente deveria entender a revelação de Deus sobre ele como parte de seu entendimento total da Palavra de Deus e do plano de Deus para todas as eras.

Uma coisa, porém, deve ficar clara: a Bíblia não fala aos crentes para procurarem o Anticristo, mas para buscarem por Jesus. Nós iremos nos encontrar com o Senhor nos ares antes que o homem do pecado seja revelado e comece sua carreira nefasta. Estamos buscando por Aquele cujo nome está acima de todo nome, Aquele diante de quem todo joelho se dobrará e toda língua confessará que Ele é o Senhor, para a glória de Deus Pai (Fp 2.9-11). (Mark Hitchcock — chamada.com.br)

Mark Hitchcock

Notas

  1. “‘Scary’ Harris poll: 24% of Republicans think Obama ‘may be the Antichrist,’” [Pesquisa de Opinião: 24% dos Republicanos acham que Obama pode ser o Anticristo] www.news.yahoo.com/s/dailybeast/20100323/ts…/7269_scarynewgoppoll.
  2. Daniel B. Wallace, “Is Obama the Antichrist?” [Obama é o Anticristo?] The Christian Post, August 20, 2009, www.christianpost.com/article/…/is-obama-the-antichrist/.
  3. Daniel B. Wallace, “Is Obama the Antichrist?” [Obama é o Anticristo?]
  4. At http://answers.yahoo.com/question/index?qid=20090122184810AAkh6XI.
  5. Mark Hosenball and Michael Isikoff , “Extremist Reaction” [Reação Extremista] Newsweek (April 12, 2010), 14.
  6. “The Dajjal: Islam’s Antichrist,” [Dajjal: O Anticristo do islamismo] www.answeringislam.org/Authors/JR/…/ch08_the_dajjal.htm.
  7. Denis the Carthusian, Dialogue on the Catholic Faith 6 [Diálogo Sobre a Fé Católica] in Opera omnia,vol. 18 (Tournai: n.p., 1899), 468.
  8. H.L. Willmington, The King Is Coming [O Rei Está Voltando] (Wheaton, IL: Tyndale House,1981), 81.
  9. John MacArthur Jr., Revelation 12–22 [Apocalipse 12-22] (Chicago: Moody Press, 2000), 51.
  10. Thomas Ice and Timoth Demy, The Truth About the Antichrist and His Kingdom [A Verdade Sobre o Anticristo e Seu Reino] (Eugene, OR: Harvest House, 1996), 40-41.

Continuar lendo